Brasil: Bolsonaro assina medida e mínimo será de R$ 1.039 em 2020 ~ Umbuzeiro Notícias

Partidos de oposição em Umbuzeiro realizam convenção no dia 30 de julho

Os partidos de oposição em Umbuzeiro, formados pelas Comissões Provisórias Municipais do  PSB, PTC, PRB, PTN, PT do B, PPS e do Diretório M...

CLIQUE NA IMAGEM OU AQUI PARA LER MAIS TEXTOS

Anuncie seu comércio

Anuncie seu comércio

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

2 de janeiro de 2020

Brasil: Bolsonaro assina medida e mínimo será de R$ 1.039 em 2020

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira (31) a medida provisória que estabelece o reajuste do salário mínimo, que entrará em vigor em 1º de janeiro. O valor do mínimo será de R$ 1.039, oito reais acima do valor aprovado pelo Congresso no orçamento, que era R$ 1.031. 
Atualmente o salário mínimo é de R$ 998.
Em relação ao valor de 2019, o reajuste ficou em 4,1%. Ou seja, foi corrigido pela inflação, sem ganho real. 
Inicialmente, o piso nacional para 2020 seria de R$ 1.040. Depois, ele passou para R$ 1.039 e, em novembro, sofreu nova redução chegando a R$ 1.031. Essas alterações ocorrem em função da expectativa de inflação para o ano, que sofre alterações. 
De acordo com o Ministério da Economia, o reajuste do mínimo preserva o poder de compra do trabalhador. A pasta explica que a diferença de 8 reais em relação ao orçamento aprovado pelo Congresso se deve pela recente alta do preço da carne, que pressionou a inflação, gerando "uma expectativa de INPC [índice que corrige o mínimo] mais alto, o que está refletido no salário mínimo de 2020".

O ministério completa dizendo que pelo valor ter ficado acima do patamar anteriormente estimado, serão necessários ajustes no orçamento que garantam o cumprimento do teto de gastos.
Mínimo deveria ser de R$ 4.021,39, segundo Dieese
Em novembro, de acordo com o Dieese, o salário mínimo para suprir as reais necessidades do trabalhador deveria ser de R$ 4.021,39 ou 4,03 vezes o mínimo atual de R$ 998. Em outubro de 2019, o piso mínimo necessário correspondeu a R$ 3.978,63, ou 3,99 vezes o mínimo vigente.
Em novembro de 2018, o valor necessário foi de R$ 3.959,98, ou 4,15 vezes o salário mínimo, que, na época, era de R$ 954.
Como é calculado o mínimo ideal?
Para calcular a estimativa de quanto deveria ser o mínimo nacional, o Dieese considera a cesta básica mais cara de 17 capitais.
Também são levadas em conta as necessidades básicas do trabalhador e de sua família, conforma estabelece a Constituição Federal: alimentação moradia, saúde, higiene, educação, vestuário, lazer, transporte e Previdência Social.
O maior valor da cesta básica registrado em novembro foi em Florianópolis (R$ 478,68), seguida de São Paulo (R$ 465,81), Vitória (R$ 462,06) e Rio de Janeiro (R$ 455,37). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 325,40) e Salvador (R$ 341,45).

Artigos Relacionados:

0 comentários:

Postar um comentário