Ex-prefeito de Aroeiras é condenado a prisão ; saiba mais ~ Umbuzeiro Notícias

WHATSAPP

WHATSAPP
Fatos & Fotos

ELEIÇÕES 2016

CLTR TV

Paraíba com memória

CLIQUE NA IMAGEM OU AQUI PARA LER MAIS TEXTOS

O que achou do site?

EM QUEM VOCÊ VAI VOTAR PARA O CONSELHO TUTELAR DE UMBUZEIRO

OBSERVAÇÃO

Onde se lê: 11 - MARLO leia-se: 11 - MARLON

Partidos de oposição em Umbuzeiro realizam convenção no dia 30 de julho

Os partidos de oposição em Umbuzeiro, formados pelas Comissões Provisórias Municipais do  PSB, PTC, PRB, PTN, PT do B, PPS e do Diretório M...

45e8387f6c6b416e2178552f488f805c.html]

RÁDIO UMBUNET

RÁDIO UMBUNET
Clique e ouça pelo celular

ENQUETE: ELEIÇÕES 2016

24 de julho de 2015

Ex-prefeito de Aroeiras é condenado a prisão ; saiba mais

Ex-prefeito de Aroeiras é condenado a prisão por desviar verba de convênio com a Funasa


 Foto Reprodução

O Diário da Justiça Federal trouxe, na edição desta sexta-feira (24), a publicação da condenação do ex-prefeito do município de Aroeiras, José Francisco Marques, a dois anos de prisão, por desvio de verbas públicas de um convênio firmado com a Funasa (Fundação Nacional de Saúde) que visava a ampliação do sistema de abastecimeto de água na localidade.
Foto Reprodução

Além dele foram condenados ainda Ubiracy Bernardino Gomes e José Marques da Silva Rodrigues, que figuravam contratualmente como titulares da empresa Vectra construções LTDA, responsável pela execução do objeto do convênio.

Como a pena é inferior a quatro anos prisão, ela foi convertida em prestação de serviços à comunidade.

Na ação, o Ministério Público Federal aponta que José Francisco Marques, na condição de prefeito de Aroeiras, teria contribuído diretamente para o desvio das verbas destinadas ao município por intermédio do convenio 063/2003, os titulares da empresa contratada para a execução do serviço.

De acordo com o que consta nos autos, a Funasa firmou o convenio com vigência entre 22/12/2003 e 11/02/2007, destinando quase R$ 145 mil para a implantação do sistema de abastecimento de água no município, no entanto, passados dois anos, apenas seis poços haviam sido construídos.

Conforme entendimento da justiça, a inexecução integral do objeto do convênio ocasionou um prejuízo na ordem de mais de 72 mil. A informação foi divulgada na manhã de hoje, no programa CBN em João Pessoa.

A decisão cabe recurso.

Umbuzeiro Notícias via PB Agora

Artigos Relacionados:

0 comentários:

Postar um comentário

AS MAIS LIDAS DA SEMANA